Produtividade em trabalho remoto: o (alto) desempenho veste casual

Por: Pedro Ferreira - Fevereiro 8, 2021

Produtividade em trabalho remoto: o (alto) desempenho veste casual

O conceito de produtividade regressou à ordem do dia e, como há muito não se via, consome a fatia de leão das reflexões dos que têm a cargo – ou se interessam com – a gestão dos recursos humanos. Mas, bem vistas as coisas, a revolução em curso está a trazer à tona notícias que até nem são nada más para o domínio da produtividade em trabalho remoto.

44% dos profissionais consideram que a sua produtividade aumentou com o teletrabalho”; “Trabalho remoto dispara no mundo mas produtividade preocupa empresas”; “Quase 70% das empresas querem manter teletrabalho para todos os colaboradores no pós-pandemia”… Os títulos de imprensa são quotidianamente mais do que muitos. Por vezes contraditórios. Traduzem uma miríade de sentimentos, com incertezas e receios à mistura – tudo compreensível em face dos tempos de mudança.

Mas, quando cada vez mais empresas de grande dimensão, onde se incluem multinacionais, adotam modelos de trabalho flexível, e anunciam estar a fazê-lo de forma permanente, isso não é impulso… É mais do que um sinal. É uma tendência, dizem uns. Um movimento imparável, acentuam outros.

Colaboradores decidem onde trabalhar, a bem da produtividade em trabalho remoto

Seja como for, e a bem da produtividade em trabalho remoto, a realidade mostra que não faltam marcas a, inclusivamente, deixar os colaboradores decidir onde preferem funcionar doravante. No escritório da firma. Em casa, em homeworking. Num modelo híbrido. Ou em coworking, igualmente à distância, em espaços colaborativos munidos de todas as condições.

Aliás, segundo alguns estudos, sete em cada dez empresas colocam no horizonte adotar um regime híbrido, ou seja, uma semana de trabalho com alguns dias remotos e outros presenciais. De uma outra forma, de acordo com estudos estatísticos de empresas de recursos humanos, quase 65% dos profissionais acreditam que o trabalho remoto será uma mudança permanente.

Leia também: O que é Coworking?…

As organizações tentam assim adaptar-se a um mundo novo. Ao ponto dos renovados modelos de trabalho estarem a obrigar muitas empresas, no terreno, um pouco por todo o mundo, a adaptar até os seus próprios escritórios às regras de outro jogo. Que acontece igualmente fora de portas.

Sem surpresa, relatórios recentes de sociedades globais que estudam as tendências do mundo laboral evidenciam que existem cada vez mais empresas e organizações a considerar o espaço de trabalho digital como “extremamente importante” ou como “prioridade muito importante”. Sempre com a produtividade em trabalho remoto em mente.

Soluções hibrídas, ágeis, escaláveis e em cloud

Por via disso, como o significado de espaço de trabalho sofreu uma mudança irreversível em 2020 – pois mais desconectado de uma localização geográfica específica -, a era do escritório híbrido (seja em coworking, homeworking ou, como alguns apelidam, blended office, com variantes) está a obrigar o tecido empresarial a disponibilizar aos colaboradores ferramentas (digitais) eficientes de trabalho, ajustadas às novas necessidades, bem como apoio técnico adicional.

Vemos, consequentemente, uma grande maioria de firmas não só preocupadas em utilizar os orçamentos da forma mais eficiente possível, como a privilegiar soluções híbridas, ágeis e escaláveis, ​​alojadas em cloud.

Produtividade em trabalho remoto: reuniões mais pontuais e eficientes

E a perceção é de que tem havido maior produtividade em trabalho remoto (menos tempo gasto em deslocações, reuniões desenvolvidas com maior pontualidade e em maior número, dado que mais eficientes).

Em alguns países, inquéritos de firmas de recursos humanos mostram que quase 45 por cento dos profissionais questionados consideram que a sua produtividade aumentou a trabalhar remotamente, sendo quase 90 estão satisfeitos com a situação de teletrabalho atual.

Estes números explicam-se porque a transformação, em muitos casos, tem sido monitorizada com novas ferramentas e acompanhada de esforços adicionais de comunicação e coordenação entre colegas e equipas de trabalho. Os pontos de contacto entre todos os colaboradores são, por conseguinte, normalmente assinalados como fundamentais para a performance global.

De facto, o alto desempenho veste agora novas roupagens. E é bem mais casual. Mas não acontece por acaso. Ele depende igualmente de cada funcionário, no dia-a-dia, e de pequenas rotinas que podem fazer a diferença – sobretudo num contexto em que se veem atenuadas as fronteiras entre casa e trabalho.

Novo contexto, novas rotinas

O teletrabalho esbateu a linha do tempo. E porque isso pode afetar negativamente o desempenho laboral, é necessário que o teletrabalhador planeie a atividade quotidiana e defina horários. Por forma a que as incumbências pessoais e/ou familiares não intersetem as profissionais e prejudiquem a produtividade em trabalho remoto.

Até pode parecer aparentemente uma questão menor, mas, de facto, a definição e a organização de um espaço de (tele)trabalho é essencial. Se não dispõe de condições físicas em casa, se não consegue trabalhar com as habituais distrações no lar, ou abstrair-se delas, por forma a dispor da privacidade e concentração necessárias, então, se calhar, a solução poderá passar por uma solução de coworking – com as vantagens que lhe estão associadas.

Chamadas telefónicas de trabalho frequentes, reuniões por videoconferência, velocidade de rede de Internet, mobiliário funcional e ergonómico (pensado para longas horas de trabalho), iluminação e climatização adequadas são pormenores fundamentais a que convém dar atenção quando dimensiona – em quantidade e qualidade – a sua jornada de trabalho remoto.

Na realidade, a gestão flexível do horário é uma das vantagens do trabalho à distância, porém ele deverá ser conjugado com a restante equipa. Que também pode estar a trabalhar remotamente.

A adaptação a novos contextos exige também ganho de novas competências. E essa aquisição pode ser feita através de formação proativa online, quantas vezes para resolver questões do dia a dia. A rede mundial de informação dispõe de manancial inquantificável de tutoriais que podem ajudar a desbloquear questões ou incapacidades momentâneas e imprevistas.

De uma outra forma, se pretender incrementar a produtividade em trabalho remoto não deixe de participar em formação online. Existem inclusivamente muitos cursos ou módulos gratuitos, e portais que agregam a oferta existente (incluindo webinars, Ted Talks, entre outros). Ao fazê-lo, estará a promover aquilo de que falaremos a seguir…

A importância do networking para a produtividade em trabalho remoto

No teletrabalho, e além do trabalho de equipa que desenvolve com os colegas da empresa, o networking assume uma importância ainda mais concludente. Ele é exponenciado num espaço de coworking, mas, se não for o caso, poderá recriá-lo em casa.

Antigos colegas, profissionais ou escolares, amigos e conhecidos de outras andanças podem rechear a sua rede de contactos e emprestar uma mais-valia à atividade que desenvolve. Não deixe, por isso, de fazer uma lista de contactos. E de utilizar as redes sociais profissionais para estabelecer conexões, interagindo regularmente.

O Linkedin, por exemplo, é uma torrente informativa para muitos segmentos profissionais. É uma ferramenta que alavanca muito conhecimento. E potenciais clientes e negócios.

Aderir a grupos online (ex-alunos, indústrias ou grupos de interesse) relacionados com as áreas em que se move profissionalmente é outra das sugestões que vem na peugada.

Pausas controladas, tempos mortos…

Uma percentagem considerável dos teletrabalhadores queixa-se de que tem mais tarefas em mãos, agora que está longe do escritório… E não falta quem afirme de que, dizem os resultados de alguns inquéritos, seria mesmo necessário haver alguma espécie de apoio motivacional, psicológico mesmo, para ajudar a manter a produtividade em trabalho remoto.

Em trabalho de campo, alguns especialistas de recursos humanos constataram, em vários desses casos, que a razão é um uso ineficiente do tempo laboral e, também, da inexistência de pausas (derivadas de menos interrupções por parte da equipa de trabalho, menos tempos mortos nos corredores da empresa, etc.).

Resumindo e concluindo, a circunstância – e as contingências – do teletrabalho torna ainda mais importante a premência de pausas (controladas), para descansar e descomprimir, e do aproveitamento de tempos mortos para cultivar não só o seu desenvolvimento pessoal cultivar novas skills, inclusive importantes para o crescimento pessoal.

É possível ser produtivo trabalhando remotamente?

Trabalhar remotamente pode ser um desafio para que nunca laborou neste regime mas, na verdade, este formato pode representar ganhos enormes em diversas fases do processo produtivo. Saiba mais sobre produtividade em trabalho remoto, esteja a trabalhar em casa ou num espaço de coworking.

Quais são as vantagens de trabalhar remotamente num espaço de cowork?

Geralmente os espaços de cowork são pensados para promover a produtividade, a criatividade e o bem-estar no trabalho. Para além disso, espaços e serviços como os da Cowork Lab, incluem uma série de vantagens que permite aos clientes focarem-se exclusivamente no seu negócio ou trabalho. Saiba mais sobre as vantagens de aderir a um espaço de cowork.

Subscreva a nossa newsletter e receba todas as novidades no seu email

Newsletter
  • Siga-nos nas redes sociais

    0 0 votes
    Article Rating
    Subscribe
    Notify of
    guest
    0 Comentários
    Inline Feedbacks
    View all comments
    menu-circlecross-circle
    0
    Would love your thoughts, please comment.x
    ()
    x
    linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram